26 de nov de 2010

Que pena, Rio!

Hoje eu acordei na verdade bem feliz por tres motivos... Primeiro porque acordei com o Stefan me avisando que estava nevando. Lá fora tava lindo, lindo! Nao cheio de neve, mas aquela camada fininha de neve já tava cobrindo o chao e os telhados das casas. Segundo porque fui passear com a Elli e foi a primeira vez na vida dela que ela viu neve e ficou l-o-u-c-a!!! Demoramos mil anos pra passear porque ela simplesmente nao conseguia se concentrar em fazer xixi, só queria ficar "caçando" neve com a boca, mordendo os flocos no ar, bem fofo. E terceiro, porque ao voltar pra casa pra tomar café, tinha um coracao em cima do meu prato e era um bilhetinho do Stefan (que a essa altura já tinha ido trabalhar) nos parabenizando pelo aniversário de namoro. Eu devo ser a namorada mais relapsa do mundo: nunca lembro de datas!

Mas na verdade o motivo que me leva a escrever esse post é a tristeza que andam as páginas de notícias brasileiras com o que anda acontecendo no Rio. E mais triste ainda é ver tanta gente inocente envolvida, ver que a guerra civil tá rolando solta, um fugindo do outro, queima de onibus, tanques de guerra...

Poxa, será possível que tem realmente que caminhar tudo dessa maneira? O Brasil é um país tao pacífico, porque? Porque?

E quem mora em Zonas que passam "longe" do acontecido ainda relata "nao, por aqui tá tudo normal!". Eu juro que eu às vezes me assusto muito com esse negócio de estar tudo normal. E nao to falando só sobre essa situacao. Mas infelizmente o brasileiro tá tao acostumado com a violencia que muitos acham "normal" ver um assalto aqui, uns tiros alí. E ainda dizem "o Brasil nao é tao perigoso como dizem, eu por exemplo, nunca fui assaltada!". Isso é normal?!

Eu quero deixar bem claro que sou totalmente contra esse negócio de viver fora do Brasil e depois meter o pau no próprio país. Eu nao suporto isso!

Mas o fato é que quando voce tem a chance de viver algo diferente disso, passa a comparar e isso nao tem como evitar. E pra isso nao se precisa morar fora do Brasil nao. Se voce mora numa cidade perigosa e muda pra um interior tranquilo, já sente obviamente a diferenca.

Eu lembro que antes de eu vir pro Brasil (apesar de eu nunca ter sido assaltada!) eu vivi duas coisas que me deixaram muito chocada. Eu fui deixar meu irmao no dentista e na volta, parei num sinal atrás de um táxi que tinha acabado de sair do estacionamento de um banco. Quando ví, vem uma moto com dois caras e comeca a atirar no táxi, no taxista, quebra o vidro do carro, tira uma maleta e sai correndo. Tudo que eu fiz foi engatar a marcha e fui com os carambas pra trás, sem ver se tinham carros ou nao. Eu tinha medo de levar um tiro. Cheguei em casa literalmente tremendo, apavorada...

Dias depois o meu tio e a família dele queriam se despedir de mim antes de vir pra Alemanha, foram no supermercado comprar pizza pra gente comer e quando eu vejo, eles chegam em estado de choque em casa. Porque? Simplesmente saindo do carro uns bandidos queriam a carteira dele e como ele tinha as sacolas na mao, ele tinha que se abaixar pra deixar as sacolas no chao pra pegar a carteira. Eles acharam que o meu tio ia regir e deram um tiro que passou de raspao no braco dele.

Agora eu pergunto: é realmente pra eu sentir orgulho por nunca ter sido assaltada?!

É lamentável sair de casa com medo, evitar falar no celular no onibus, ter seu celular roubado ainda na segunda prestacao, ter filhos que saem e ter que ficar em casa preocupado sem saber se ele vai voltar bem. Triste!

E lembro também que ano passado um dos meus maiores objetivos ao ir pro Brasil por 3 meses com o Stefan, era mostrar pra ele como o meu país era maravilhoso (e é!) e que, quem sabe.... um dia poderíamos ir morar lá.

Infelizmente nao precisou de muito tempo pra eu mesma ver nao era isso que eu queria pro meu futuro. E o Stefan também nao. Nós vimos nesses 3 meses pouca violencia, mas estávamos sempre com receio. Comprar pao a pé de noite no supermercado meio longe era perigoso, se a gente estacionava o carro na rua, tinha que entrar rápido e já travar a porta. Coisas simples que fazem a diferenca.

Aí lembro que liguei pra alguém que conhecia que morava temporariamente na Alemanha e contei que acho que nós vamos é ficar por aqui mesmo no futuro. Ela perguntou porque e eu disse que pela qualidade de vida, que eu quero que meus filhos no futuro brinquem na floresta, corram, vejam a natureza. E essa pessoa me perguntou "mas Karlinha, no seu prédio no Brasil nao tem Play pras criancas brincarem?". Deixo aqui só as reticencias..... sem comentários!

E aí, gente? O que voces pensam sobre tudo isso?

15 de nov de 2010

Outono

Oficialmente o Outono comecou por aqui no die 22 de setembro. O Outono é uma das estacoes do ano que eu acho mais mágica!

Vir pra Europa pra morar nunca foi um sonho meu. Meu sonho era vir pra passar um tempo e voltar pra casa. Mas como nem tudo que a gente planeja acontece, acabei ficando por aqui. Mas mesmo nao sendo um sonho, tem vezes que ando pela rua e penso "meu Deus, eu to aqui! Quem diria que eu, um dia, teria corajem de "deixar" tudo e vir pra cá!". E isso que já fazem 3 anos e 8 meses que eu estou aqui.

E eu to contando isso porque ontem eu fui num Parque que tem aqui perto de casa e quando ví a paisagem, me senti como num filme e pensei exatamente o que eu falei alí encima. E por isso o Outono me remete algo bom, paz, forca de continuar por aqui mesmo tao longe da minha base. O Outono me faz sentir mais energizada e o visual da natureza dá um pouco de mágica pra minha vida.

O Outono é incostante assim como muitos dos meus pensamentos: um dia faz sol e outro chuva. Ontem foi um dia realmente típico pra ir pra fora, aproveitar o calor. Sim, porque quando se faz 18º em novembro, tem que comemorar!!! E hoje tá frio, feio, fazendo 8 graus. Mas ainda assim, ainda dá pra sair de casa sem sofrer com o frio. Tá agradável.

Como hoje eu to meio saudosista, eu vou parando por aqui e deixo pra voces fotos do dia lindo que fez ontem!!





















E assim estava o tempo hoje, às 9h da manha, como se fosse noite ainda....